Brasília: Aécio é salvo pelo Senado e CCJ analisa denúncia contra Temer e ministros

O Senado derrubou nesta terça-feira (17), por 44 votos a 26, a decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) que havia determinado o afastamento de Aécio Neves (PSDB-MG) do mandato de senador. Com isso, Aécio poderá retomar as atividades parlamentares. Para retomar o mandato, o tucano precisava de, pelo menos, 41 votos.

Os líderes de PMDB, PSDB, PP, PR, PRB, PROS e PTC orientaram os senadores das respectivas bancadas a votar “não”, ou seja, contra o afastamento e a favor de Aécio.PT, PSB, Pode, PDT, PSC e Rede orientaram voto a favor da decisão da Turma do Supremo.DEM e PSD liberaram os senadores a votar como quisessem.

Ausentes

Nove senadores não compareceram à sessão e dois não votaram – Eunício Oliveira (PMDB-CE), na condição de presidente do Senado, e Aécio Neves (PSDB-MG), afastado.

Os nove que não compareceram são os seguintes:

Armando Monteiro (PTB-PE): viagem oficial aos Emirados Árabes; Cristóvão Buarque (PPS-DF): viagem oficial aos Emirados Árabes; Gladson Camelli (PP-AC): viagem oficial à Rússia; Gleisi Hoffmann (PT-PR): viagem oficial à Rússia; Jorge Viana (PT-AC): viagem oficial à Rússia; Ricardo Ferraço (PSDB-ES): viagem oficial aos Emirados Árabes; Rose de Freitas (PMDB-ES): disse que não encontrou passagem aérea disponível do Espírito Santo para Brasília nesta terça-feira; Sérgio Petecão (PSD-AC): viagem oficial à Rússia; Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM): viagem oficial à Rússia.

Temer e ministros

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados analisa neste momento a denúncia contra Michel Temer e seus ministros. O Relator recomendou em parecer a rejeição da denúncia contra o presidente ilegítimo e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral).

Fonte: Portal CTB (Com agências)

Compartilhe:

Deixe seu recado

Deixe seu recado