CTB reelege baiano presidente e comerciário compõe direção nacional

Reafirmar a luta por um novo rumo para o Brasil e para derrotar as reformas e Michel Temer foi a tônica do 4º Congresso Nacional da CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, realizado em Salvador. Durante três dias, 1,2 mil delegados e delegadas debateram a crise internacional e no Brasil, contanto com a contribuição de sindicalistas de outros países, que mostraram como o ataque aos direitos trabalhistas é mundial.

Ao final do congresso, os delegados elegeram a nova direção da entidade, reconduzindo à Presidência o bancário baiano Adilson Araújo. “A central é um somatório de diferenças, cores e energias muito positivas”, disse, agradecendo aos parceiros de construção da CTB e à equipe que ajudou na realização do congresso.

Depois, Araújo falou dos planos da central no cenário atual. “O povo precisa ser conscientizado. Não podemos transformar nossos sindicatos em escritórios. É muito gratificante dar condução a esse projeto. Vamos ter de fortalecer mais e mais o nosso elo. E nossa unidade e laços de solidariedade. Compor a direção supõe fortalecer cada vez mais a nossa intervenção na sociedade”, afirmou.

A delegação comerciária comemorou a eleição de Reginaldo Oliveira, dirigente do Sindcom e presidente da Federação dos Comerciários da Bahia (FEC Bahia), para a Direção Executiva da CTB. “É nova tarefa e uma responsabilidade grande representar os comerciários da Bahia na direção nacional da central. Vamos levar nossa experiência adquirida na luta da categoria para ajudar a implementar a política da CTB no Brasil. Também trabalharemos para articular melhor a luta nacional do nosso ramo, unificando os sindicatos na defesa dos nossos direitos”, declarou Oliveira.

RENOVAÇÃO E REPRESENTATIVIDADE

A nova direção renovou alguns quadros e criou algumas novas secretarias, como as secretarias de Política Educacional, Assuntos Socioeconômicos e Assalariado Rural. No total, são 122 integrantes, sendo que 39 dirigentes são mulheres.

Durante o congresso, convidados especiais contribuíram com os debates, mostrando a representatividade do evento. “Nossa organização está atenta ao que acontece no Brasil. Vamos ajudar a fortalecer a organização dos trabalhadores para vencer a crise”, disse o diretor da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil, Peter Poschen.

A presidenta do Tribunal Regional do Trabalho – 5ª Região, desembargadora Ádna Aguiar, destacou que o momento é de grande preocupação e exige grandes ações dos trabalhadores. “A Justiça do Trabalho está atenta. Os sindicatos devem se preparar ainda mais para garantir direitos importantes”, frisou.

Para a presidenta da União Nacional dos Estudantes (UNE), Mariana Dias, os movimentos sociais e o movimento sindical devem fortalecer ações conjuntas. “Esse momento de retrocesso exige muita luta. As duas greves gerais, por exemplo, foram importantes para mobilizar a população”, declarou.

Com informações da CTB

Compartilhe:

Deixe seu recado

Deixe seu recado