Em Salvador, comerciários reforçam ato em defesa da aposentadoria

Na manhã desta segunda-feira (19), milhares de sindicalistas, estudantes e trabalhadores realizaram um grande protesto na região do Iguatemi, marcando o Dia Nacional de Luta contra a reforma da Previdência convocado pelas centrais sindicais e pela Frente Brasil Popular.

O ato contou com a participação dos comerciários, rodoviários, professores, petroleiros, químicos, bancários, servidores públicos e metalúrgicos, entre outras categorias. O movimento começou às 7h e se encerrou às 9h. O desdobramento será com uma caminhada às 15h, no Centro de Salvador.

De acordo com a comerciária, dirigente do SintraSuper e vice-presidente da CTB-Bahia, Rosa de Souza, novas manifestações devem ocorrer enquanto quiserem votar a reforma no Congresso Nacional. “Não vamos aceitar que um governo ilegítimo queira prejudicar a aposentadoria de quem está no mercado de trabalho hoje e também das futuras gerações. A sociedade precisa apoiar e participar dessa luta”, conclamou.

A MENTIRA DO DEFICIT

Dirigente do Sindicato dos Comerciários, Walter Cândido ressaltou que o argumento do governo de que há deficit e falta de dinheiro é mentiroso. “Todos os estudos mostram que a Previdência é superavitária. O problema maior é que o governo não cobra os devedores, maiores responsáveis pelos prejuízos ao sistema de Seguridade Social”, pontuou.

A tese foi reforçada com números pelo presidente da CTB-Bahia, Pascoal Carneiro: “As grandes empresas devem R$ 1,8 bilhão ao INSS. Desses, R$ 400 milhões caducaram, porque não foram cobrados no prazo; R$ 400 milhões já podem ser executados, constando na dívida ativa nacional; e o R$ 1 bilhão restante, sequer está sendo requerido pela Procuradoria Geral da República. A mando do governo, ainda não ingressou com ações judiciais, alegando que pode falir as empresas. Só que prejudicar o conjunto da população, inclusive os mais pobres, isso o governo pode e faz”, criticou.

Compartilhe:

Deixe seu recado

Deixe seu recado