Fim de ano: olho nas vendas e nos direitos

Todo fim de ano, vivemos a expectativa de melhora nas vendas e aumento dos rendimentos. Segundo a Confederação Nacional do Comércio, 73 mil pessoas devem ser contratadas temporariamente para as festas de fim de ano, no Brasil, e a projeção é de aumento de 4,3% nas vendas, representando movimentação financeira de R$ 34,3 bilhões.

Na Bahia, a projeção de 8% de incremento nas vendas e contratação de 3 mil temporários.Temos que ficar de olho também em nossos direitos. A primeira parcela do 13º deve ser paga até 30 de novembro, e a segunda, até 20 de dezembro. O valor do trabalho no domingo é R$ 30,36. Nos feriados, é R$ 42,92 (lojas não abrem 25/12 e 01/01/18). O valor diário da alimentação é de R$ 9,42.

CONVENÇÃO PREVALECE

Com a vigência da reforma trabalhista (11/11), o Sindicato alerta que a Convenção Coletiva de Trabalho define as regras no comércio até 28 de fevereiro de 2018. É o princípio da condição mais favorável. Portanto, os efeitos da reforma não cabem. “É importante que os comerciários e as comerciárias fiquem atentos e sintonizados com o sindicato para garantir os nossos direitos,especialmente no fim de ano e com o desencontro de informações por conta da reforma”, frisa o presidente do Sindicato dos Jaelson Dourado.

TEMPORÁRIOS

A empresa tem que assinar a CTPS e o contrato é de até 120 dias, podendo ser prorrogado por mais 120. O temporário tem direito a remuneração igual aos que ocupam a mesma função; pagamento proporcional de férias, 13º e saldo de salário, no término do contrato;pagamento de horas extras, transporte, FGTS, inscrição na Previdência e contagem de tempo de contribuição para a aposentadora. Se não permanecer, não tem direito a aviso prévio e nem os 40% do FGTS.

Compartilhe:

Deixe seu recado

Deixe seu recado