No 2 de Julho, comerciários reforçam luta por eleições diretas

Foi no dia 2 de julho de 1823 que a Bahia deu sua decisiva contribuição para a consolidação da Independência do Brasil. Por isso, que há 194 anos, os baianos tomam as ruas do centro histórico para homenagear herois como General Labatut, Maria Quitéria, Joana Angélica e o povo, representado pelas figuras do caboclo e da cabocla.

Dirigentes do Sindicato dos Comerciários de Salvador, do Sintrasuper (trabalhadores em supermercados) e da FEC Bahia levaram a força da categoria para engrossar a palavra de ordem “Fora, Temer. Diretas, já”. “Neste momento, de grave crise, é essencial resgatar o legado do Dois de Julho. As elites políticas precisam respeitar a vontade popular, que quer votar para presidente”, afirmou o presidente do Sindcom, Jaelson Dourado.

De acordo com o presidente da FEC, Reginaldo Oliveira, datas como essa reafirmam que o nosso povo sempre lutou por liberdades e por uma vida melhor. “É com esse espírito da nossa data maior que vamos derrotar as reformas da Previdência e trabalhista do golpista Michel Temer”, enfatizou.

Vice-presidente da CTB Bahia e dirigente do Sintrasuper, Rosa de Souza o desfile é também para mostrar a resistência dos trabalhadores. “Derrubar esse governo e suas reformas exige muita ação nossa nas ruas. As greves gerais de 28 de abril e 30 de junho foram importantes, mas a Frente Brasil Popular e as centrais já prepara novas manifestações”, destacou.

Compartilhe:

Deixe seu recado

Deixe seu recado