Sindicato atento ao fechamento de lojas no aeroporto

A crise que atinge o aeroporto de Salvador há algum tempo já está se refletindo também no funcionamento das lojas: algumas já fecharam e outras estão para fechar. Mas, tem outro responsável por isso: a Vinci AirPorts, nova administradora do equipamento.

O que acontece é que as empresas que fecharam foi por conta dos altos valores dos aluguéis, que tornaram o negócio inviável, pois chegam a 20% do faturamento das empresas. Entre as fechadas e as que fecharão, estão cerca de 20 empreendimentos, entre lojas e quiosques.

Segundo o vice-presidente do Sindicato, Alfredo Santiago, a previsão inicial para o fechamento era a partir de 01 de abril, mas algumas lojas se anteciparam e fecharam antes. “É uma situação delicada. Estão usando uma grande reforma como argumento para a suspensão de algumas atividades. A previsão para conclusão total das obras é novembro de 2019. Nossa preocupação é com os empregos eliminados e o reflexo também sobre fornecedores e artesões, que passaram por dificuldades por serem microempreendedores”, avalia.

O dirigente afirma que o Sindicato está acompanhando a situação e deve tomar algumas medidas para proteger os trabalhadores, além de debater o assunto com os podere públicos.

Compartilhe:

Deixe seu recado

Deixe seu recado