Temer enfraquece a economia: Brasil tem 15 milhões de famílias sem renda

O desemprego continua avançando no Brasil. Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) registrou que mais de 15 milhões de famílias brasileiras estão vivendo sem nenhuma renda, com todos os seus membros desempregados.

Reportagem do jornal Valor Econômico repercute um levantamento dos pesquisadores Samuel Franco e Suiani Febroni, do Instituto de Estudos de Trabalho e Sociedade (Iets) e da Oportunidades, Pesquisa e Estudos Sociais (OPE Sociais), a partir da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua, do IBGE, e mostra que, no segundo trimestre deste ano, o Brasil tinha 15,2 milhões de lares onde ninguém trabalhava – um aumento de 22% em relação a 2014 (2,8 milhões a mais).

De acordo com a pesquisa, isso significa que um em cada cinco domicílios brasileiros (21,8% do total) não possui renda fruto do trabalho (formal ou informal). O estudo destaca ainda que a crise está sendo mais cruel com os mais pobres.

No segundo trimestre, não havia ninguém empregado em 12% dos lares em que o chefe de família cursou o ensino superior. Quando o chefe de família tem apenas o ensino fundamental incompleto, a proporção era de 32%. Para os pesquisadores, as estatísticas mostram, assim, a importância dos programas de transferência de renda em momentos de crise no mercado.

“O indicador chama atenção para a importância do funcionamento eficiente das políticas assistenciais, de forma que as famílias que perderam sua fonte de renda possam se manter até recuperar a situação ideal”, disse Samuel Franco ao Valor.

Divulgada no início do mês, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) revelou que o Brasil fechou o segundo semestre deste ano com 26,3 milhões de trabalhadores desempregados ou subocupados. Diante dos números de uma das mais cruéis crises econômicas no país, o presidente Michel Temer vai à China negociar com os empresários um plano de concessões e privatizações e ainda fala do “sucesso” de suas reformas.

“Como é possível que, com 26 milhões de brasileiros desempregados e denunciado por envolvimento em escândalo de corrupção, o ilegítimo presidente da República, Michel Temer, afirme à TV chinesa que a ‘modernização’ trabalhista está fazendo um sucesso extraordinário porque flexibiliza as relações de trabalho e combate o desemprego?”, indaga o presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adilson Araújo.

Fonte: Portal CTB com informações do Valor Econômico

Compartilhe:

Deixe seu recado

Deixe seu recado