13º é importante para o País, viu Mourão?

Sempre no final de ano, o comércio e os comerciários vivem a expectativa de aumento nas vendas. E o principal motor disso é o 13º Salário. Se é bom para os trabalhadores, torna-se melhor ainda para a economia do País.

Sem essa visão, o vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão, criticou o pagamento do benefício e do adicional de férias: “Esses direitos trabalhistas são jabuticabas brasileiras, [como são conhecidas leis que só existem no Brasil], e um peso para o empresário”, afirmou em palestra.

Assim como o presidente e sua equipe econômica, Mourão faz o discurso que agrada as elites. Não entendem que os trabalhadores usam o salário e outros benefícios remunerados para sua sobrevivência básica, ajudando muito o desenvolvimento da economia brasileira.

Sem contar que os benefícios compensam o valor baixo da mão de obra no Brasil em relação a outras nações. No Brasil, o salário mínimo/hora equivale a US$ 1,13 (calculado pelo dólar de hoje: US$: 3,84).

Matéria no site Beef Point – especializado em mercado e marketing de carne – mostra o valor médio por hora, em dólar, dos salários em alguns países. Os dados são de 2015: Austrália US$ 19/h; países europeus US$ 15/h (exceto Rússia: US$ 4/h); países da América do Norte US$ 19/h (exceto Canadá, com US$ 21/h, e México com US$ 1/h). CONFIRA AQUI

OS NÚMEROS

Dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) confirmam a importância do 13º. Esse ano, o pagamento do benefício deve injetar R$ 211,2 bilhões na economia brasileira, até dezembro (equivale a 3% do nosso Produto Interno Bruto – PIB). Mais de 84,5 milhões de pessoas serão beneficiadas. São trabalhadores com carteira assinada, inclusive domésticos, aposentados e pensionistas. Segundo o Dieese, o valor médio pago em 2018 é de R$ 2.320.

Compartilhe:

Deixe seu recado

Deixe seu recado