Sindicato esclarece sobre impasse nas negociações

Negociar é a melhor saída para o comércio, a cidade e os comerciários

Há mais de 20 anos, comerciários e lojistas deram exemplo de como deve ser a relação entre patrões e empregados. Na mesa de negociação, a capacidade de entendimento dos dirigentes do Sindicato dos Comerciários e do Sindicato dos Lojistas resultou em boas convenções coletivas de trabalho. Todos ganharam com o acordo, inclusive a cidade.

Há dois meses, o setor de supermercados assinou sua Convenção 2018, assegurando reajuste salarial, direitos e as condições para a abertura das lojas aos domingos e feriados. Lamentavelmente, neste ano, o setor patronal lojista preferiu o caminho da intransigência e judicial.

Por quê a Justiça? É que o Sindicato dos Lojistas não assinou o acordo (desde março) e as empresas passaram a abrir ilegalmente aos domingos e feriados. O Sindicato dos Comerciários não teve outra alternativa: entrou com ação na Justiça.

E, ganhou! Uma Medida Cautelar, concedida em 21/4, decidiu que não pode haver trabalho nesses dias sem a assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho. O Sindilojas recorreu e perdeu duas vezes, acarretando para as empresas o pagamento de multa de R$ 1.000,00 por cada funcionário e por cada domingo e feriado trabalhados.

Já estava quase tudo pronto para a assinatura e veio a chantagem:“Só assinamos se o Sindicato dos Comerciários retirar a ação judicial”. Não podemos deixar isso destruir uma história de bons entendimentos. É ruim para os trabalhadores, mas é pior para as empresas e para a cidade.

Essa atitude mostra descaso patronal com a mesa de negociação, justamente o espaço em que os conflitos podem ser resolvidos com uma solução consensual entre as partes. A judicialização da negociação é ruim para todo mundo. O engraçado é que os lojistas entenderam que não precisavam negociar. Já a Justiça, com a decisão, compreende a importância desse processo democrático.

Nesse momento, é fundamental a sensibilidade patronal para retomar as negociações. Essa sempre foi a melhor saída. Sabemos a importância da abertura do comércio aos domingos e feriados, bem como do Dia dos Comerciários (já definido com o setor de supermercados para a próxima segunda-feira, 22).

Por isso, apostamos no diálogo para negociar uma solução que seja boa para os lojistas, os trabalhadores e, especialmente, para a cidade.

Sindicato dos Comerciários de Salvador

Salvador-Ba, 16 de outubro de 2018.

Compartilhe:

Deixe seu recado

Deixe seu recado