Absurdos na Monica Sanches

Empresa com mais de 30 anos no mercado de bolsas e acessórios para mulheres, e 42 lojas no Brasil, a Monica Sanches está aprontando em plena crise da pandemia de coronavírus. Presente nos principais shoppings de Salvador, não pagou os salários de março, nem as férias de quem tem direito.

A “esperta” propôs pagar em mercadorias. Um absurdo tratar, assim, quem já trabalhou e cumpriu com suas obrigações. São chefes de família com suas contas atrasadas e precisando comprar alimentos.

Como não bastasse, decidiu enviar para os funcionários venderem em casa, até 10 bolsas, a preço de custo (R$ 90,00). De acordo com o valor que cada um tem a receber. A “boazinha” afirmou que, caso haja dificuldades na venda, aceitará a devolução dos produtos, desde que estejam em perfeito estado de conservação.

Ainda propôs o pagamento parcelado de rescisão, e com mercadorias.
Temos que perguntar: “A Monica Sanches rasgou a Constituição Federal, na parte do valor social do trabalho e respeito a dignidade humana?”

Lembramos que o governo (após pressão) disponibilizou linha de crédito para as empresas honrarem seus compromissos, especialmente com os seus funcionários. Por isso, o sindicato está acompanhando e tomando medidas para garantir o direito dos funcionários e das funcionárias.

Compartilhe:

Deixe seu recado