Alimentos ficam mais caros, e IPC-S avança em março, diz FGV

Em fevereiro, o indicador havia fechado o mês com inflação de 0,24% e, em janeiro, alta de 0,81%. Na terceira quadrissemana de março, o IPC-S tinha apresentado elevação de 0,51%. Com o resultado de março, o indicador acumula alta de 1,66%, no ano e de 5,50%, nos últimos 12 meses.

Segundo a FGV, a alta dos preços observada na última semana do mês foi puxada pelo grupo alimentação, cuja taxa passou de 0,52% na terceira semana, para 0,63% no fechamento de março. Nesta classe de despesa, a entidade destacou o comportamento dos preços das carnes bovinas (de -2,06% para -1,05%), laticínios (de 0,17% para 0,49%) e carnes e peixes industrializados (de 0,51% para 1,04%).

A inflação das outras seis classes de despesa que compõem o índice também avançou na última semana: vestuário (de 0,27% para 0,61%), educação, leitura e recreação (de 0,28% para 0,46%), saúde e cuidados pessoais (de 0,60% para 0,71%), comunicação (-0,28% para -0,21%), transportes (de 0,20% para 0,26%), despesas diversas (de 0,12% para 0,14%) e habitação (1,02% para 1,03%).

A FGV destacou em cada um destes grupos, a elevação dos preços das roupas (de 0,27% para 0,78%), passagens aéreas (de -2,77% para -0,65%), artigos de higiene e cuidado pessoal (de 0,89% para 1,37%), tarifas de telefone móvel (de -0,01% para 0,33%), etanol (de -0,51% para 0,70%), alimento para animais domésticos (de -0,59% para -0,51%) e taxa de água e esgoto residencial (de 1,85% para 2,44%) .

Compartilhe:

Deixe seu recado