Alta da gasolina leva ao crescimento da venda de motos

No país, segundo dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas e Similares (Abraciclo), as vendas aumentaram em 2% na primeira quinzena de fevereiro em relação ao mês de janeiro. Nos últimos 10 dias, mais de 52 mil unidades foram vendidas, de acordo com a associação. Só no mês de janeiro, cerca de 105 mil motos foram comercializadas em todo o Brasil.

Gerente de uma loja na Avenida Barros Reis, no bairro do Retiro, Magno Vieira Bruno, comemora o bom momento, tanto na procura, quanto nas vendas. “Nossas vendas aumentaram em 20% depois do acréscimo dos combustíveis e o nosso movimento diário também subiu, com cerca 20 clientes a mais”, disse. Segundo ele, além de ser um veículo de fácil acesso e com consumo baixo, as motos tem parcelas que cabem no orçamento de qualquer pessoa.

Na loja, os preços das motos estão na faixa de R$ 4,7 mil. “Temos opções com 50 e 150 cilindradas. Se o consumidor ainda ‘chorar’ um pouco mais, podemos negociar os preços, que estão muito bons, e estão valendo a metade de outras motos de concorrentes que tem as mesmas especificações”, contou Bruno. A boa oportunidade levou o sushiman, Marcos Silva, a comprar uma moto para se livrar do transporte público.

Morador do bairro da Fazenda Grande do Retiro, ele trabalha no Shopping da Bahia e, agora, espera gastar menos tempo entre sua casa e o serviço. “Antes eu gastava entre 45 minutos e uma hora. Agora, acredito que em 15 minutos chegarei ao meu destino. Além disso, para resolver as coisas ficará muito mais rápido e ágil. Andar de ônibus, nunca mais”, disse Silva. Segundo ele, que comprou a primeira moto, a economia mensal deve girar em torno de R$ 150 a R$ 200.

Quem também estava atrás da primeira moto era o casal Waliston de Jesus e Renilza Macedo. “Os preços estão muito atrativos e acho que vamos fechar negócio, já que as parcelas cabem no nosso orçamento. Esperamos economizar em torno de R$ 100, sem contar que vamos ganhar tempo no deslocamento de casa para o trabalho”, disse a porteira, que mora em São Caetano e trabalha no bairro da Ribeira.

DESPERTAR

Em uma outra concessionária, na Avenida Heitor Dias, o aumento na procura já ultrapassou os 20% desde a elevação no preço dos combustíveis e as vendas, comparadas com o mesmo período de 2014, cresceram 10%. O principal responsável por tudo isso é o preço da gasolina. A autonomia destes veículos também é apontada como vantagem para quem procura as motos para comprar. Algumas delas chegam a fazer até 60 km por litro do combustível e estão na faixa de preço entre R$ 5.500 e R$ 14.000.

O motorista, José Clementino, estava na concessionária, mas para trocar de moto. “Até tenho carro. Mas uso ele apenas aos fins de semana, quando o trânsito está mais tranqüilo. Para chegar até o trabalho, no bairro de São Cristóvão, eu vou de moto mesmo, já que preciso de agilidade no dia-a-dia. Já estou vendendo a que tenho para comprar uma nova”, disse ele, que mora na Calçada, e estava de olho em um veículo de 150 cilindradas.

Fonte: Tribuna da Bahia

Compartilhe:

Deixe seu recado