ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO É CRIME: DENUNCIE

Assédio moral ou violência moral no trabalho não é um fenômeno novo. Pode-se dizer que ele é tão antigo quanto o trabalho. A exposição dos trabalhadores (as) a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções, tem se tornado um fator preocupante, pois o índice de denúncias no plantão do sindicato, segundo a assessoria do setor, é alarmante. Das ligações recebidas, 40% delas são relacionadas a assédio moral, um fato que merece destaque, já que os trabalhadores merecem respeito, principalmente por estarem prestando serviços a suas empresas e ajudando as mesmas a obterem lucros.

A humilhação repetitiva e de longa duração interfere na vida dos trabalhadores, e de modo direto, compromete sua identidade, dignidade e relações afetivas e sociais, ocasionando graves danos à saúde física e mental, que podem evoluir para a incapacidade, desemprego ou até mesmo a morte, sim, situações como essas, de opressão, podem levar a vítima até mesmo a cometer suicídio, portanto, trata-se de um risco invisível, porém concreto, nas relações e no ambiente de trabalho.

De acordo com a assessoria do plantão, infelizmente situações dramáticas podem ocorrer, por isso é importante que a vítima denuncie precocemente e não se intimide com as agressões sofridas no ambiente de trabalho, pelos patrões. A plantonista do dia relata que as mulheres são as que mais sofrem com o assédio, algumas são perseguidas pelo fato de estarem gestantes, ou  pela exigência da alta produtividade da empresa. A funcionária também destacou casos de racismo e de preconceito relacionado à opção sexual do trabalhador (a). Casos graves, e que merecem maior visibilidade das autoridades que recebem essas denúncias através do sindicato.

“O trabalhador realmente precisa se conscientizar que toda e qualquer classe trabalhadora merece uma representação, a exemplo do sindicato, é necessário que se informem e procurem as orientações cabíveis, pois o sindicato tem a capacidade de dar o encaminhamento correto para que as medidas sejam tomadas de acordo com a situação. Tomar nota das humilhações sofridas, procurar testemunhas, relatar o que vem acontecendo aos seus familiares e amigos, procurar a ajuda de diretores, médicos ou advogados do sindicato ao qual é filiado, ou seja, não se pode calar nestas situações, pois a solidariedade é fundamental”, esclarece a assessora do setor.

Se você comerciário (a) é testemunha, ou vem sofrendo humilhações no trabalho supere seu medo, seja solidário com seu colega, denuncie. Talvez você possa ser “a próxima vítima” e nesta hora o apoio dos seus colegas também será precioso. O basta à humilhação depende também da informação, organização e mobilização dos trabalhadores, pois o assédio moral também É CRIME.

Um ambiente de trabalho saudável é uma conquista diária. O telefone para denúncias é o 3355-3327 ou na sede do Sindicato, que fica na Rua Francisco Ferraro, n° 53, ao lado do Colégio Central.

Por Karoliny Lima da Ascom / Sindicom

Compartilhe:

Deixe seu recado