Atakarejo notificado por falta de higiene

Indignados com o descaso em relação à saúde do consumidor, a população manifestou-se, através das redes sociais, e denunciou outros supermercados, nas mesmas condições. A administração geral da loja ainda não se pronunciou sobre o caso.

Considerada pela Vigilância Sanitária, órgão responsável pela fiscalização, uma área de risco com nível médio, a loja “6” da rede Atakarejo, foi denunciada por clientes e funcionários do local. Nas prateleiras, fezes de ratos e baratas são encontradas entre embalagens de farinhas, flocos de milho e cereais.

Alguns pacotes furados evidenciavam que roedores circulavam e alimentavam-se dos produtos à venda. Ainda segundo a Vigilância Sanitária, várias denúncias sobre estabelecimentos da rede já foram registradas e seguem em inspeção.

De acordo com Karina Queiroz, coordenadora do órgão, após a notificação, o supermercado tem um prazo para se adequar as normas sanitárias necessárias para funcionamento.

“São analisados alguns itens como: saúde do trabalhador; controle de pragas; armazenamento e abastecimento de água. Caso o estabelecimento notificado não cumpra tais exigências, pode ocorrer a interdição”, explicou a coordenadora. Durante um segundo contato, Antônio Carlos Rodrigues, gerente administrativo do Atakarejo, afirmou que as lojas são autônomas e podem responder separadamente sobre cada situação.

“O próprio gerente da Loja 6 deve se pronunciar sobre esse assunto. Estava de viagem, cheguei hoje (ontem) e ainda não me inteirei do ocorrido”, alegou. Apesar da afirmação, o gerente da loja citada, Fábio Santos, afirmou que, por ser “novato” não teria autonomia para falar sobre o assunto. “É melhor procurar nossa central”, disse, em entrevista, ocorrida na última sexta-feira (25).

Segundo o médico sanitarista, Juarez Dias, a ingestão de alimentos contaminados com fezes ou urinas de animais pode acarretar problemas graves de saúde, inclusive leptospirose. “O consumidor deve ficar atento e dispensar qualquer embalagem que apresentar perfurações. Quem ingerir estes alimentos corre o risco de ser contaminado por leptospirose, doença transmitida pela urina de ratos. Em relação às baratas, não se pode esquecer que ela é transmissora de bactérias, pois é um animal que frequenta lixos, esgotos e fezes”, alertou o médico.

Outros estabelecimentos denunciados

Pelas redes sociais, consumidores demonstraram indignação pela falta de higiene no supermercado e denunciaram outros estabelecimentos em situação semelhante. Em uma loja de grande rede no bairro do Imbuí, moradores afirmam que carnes com coloração esverdeada, assim frutas e verduras podres são postas à venda, deixando o local infestado por mosquitos. Outra loja, no Iapi, segundo informações de consumidores, é constante a presença de ratos entre as carnes.

Situação semelhante ocorre em um estabelecimento do Rio Vermelho, onde clientes denunciam a presença de baratas nas prateleiras. No Matatu de Brotas e na Sete Portas consumidores garantem, também, terem visto ratos sobre os sacos de pães. “A Vigilância Sanitária tem que intensificar as ações. É um absurdo o que acontece nos supermercados da cidade”, disse um deles.

Compartilhe:

Deixe seu recado