Bahia gera 50 mil empregos de janeiro a novembro

Os demais saldos dos estados da região foram Ceará (+45.519 postos), Paraíba (+19.394) Maranhão (+19.257), Rio Grande do Norte (+14.511), Sergipe (+13.171), Piauí (+13.085) e Alagoas (+3.356 postos). As informações são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram sistematizadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia da Secretaria do Planejamento (Seplan).

Em novembro deste ano, o estado contabilizou um saldo positivo de 5.695 postos de trabalho com carteira assinada. O resultado expressa a diferença entre o total de admissões (+63.461 vagas) e desligamentos (-57.766 vagas).

Motores da economia

De acordo com o secretário do Planejamento do Estado, José Sergio Gabrielli, o resultado mensal deve-se, principalmente, às contratações nos setores de Comércio (+4.056 postos), Serviços (+3.489 postos) e Construção Civil (+1.656), que se mantêm como motores da economia baiana, com um crescimento médio de 10% ao mês, na comparação com o mesmo período do ano anterior.

O saldo registrado em novembro de 2012 situou-se em um patamar superior ao contabilizado no mesmo mês do ano anterior (+3.157 vagas) quanto no mês de outubro deste ano (-4.886 vagas). No mesmo período, a Bahia ocupou a primeira posição na criação de empregos formais dentre os estados da Região Nordeste.

Em novembro de 2012, os estados nordestinos que contabilizaram saldos positivos de emprego foram Ceará (+4.489 postos), Alagoas (+2.888), Paraíba (+1.908), Rio Grande do Norte (+1.440), Pernambuco (+1.053), Sergipe (+748). Apenas os estados do Piauí (-836) e do Maranhão (-318 postos) contabilizaram resultados negativos.

RMS e no interior

Também em novembro de 2012, os resultados do emprego, tanto no interior do estado quanto na Região Metropolitana de Salvador (RMS), foram positivos. O interior contou com a criação de 531 empregos, correspondendo a 9,3% do total, enquanto na RMS foi apurado um saldo positivo de 5.164 postos de trabalho.

Quanto à geração de emprego de janeiro a novembro de 2012, a participação do interior do estado foi de 32.257 postos, ou 63,6% das vagas formais, enquanto na RMS foram criados 18.497 empregos com carteira assinada, o equivalente a 36,4% das vagas celetistas.

No mesmo período, dos municípios baianos que possuem 30 mil habitantes ou mais, Salvador, Feira de Santana e Lauro de Freitas destacaram-se na criação de novas oportunidades de trabalho. A capital gerou 4.380 empregos, Feira de Santana 1.371 e Lauro de Freitas 977. Entre os municípios na mesma condição populacional que tiveram os menores saldos de empregos no período estão Juazeiro (-2.189 vagas), Casa Nova (-750 vagas) e Camaçari (-294 vagas).

Compartilhe:

Deixe seu recado