Bahia perdeu 5.812 postos de trabalho em fevereiro

Setorialmente, em fevereiro, na Bahia, quatro segmentos contabilizaram saldos negativos: Serviços (-2.884 postos), Comércio (-2.490 postos), Indústria de Transformação (-1.066 postos) e Construção Civil (-615 postos). Quatro setores absorveram trabalhadores celetistas: Agropecuária (+732 postos), Administração Pública (+407 postos), Extrativa Mineral (+94 postos) e Serviços Industriais de Utilidade Pública (+10 postos).

No acumulado dos últimos dois meses, cinco setores de atividade registraram saldos negativos, destes, o pior saldo foi o de Comércio (-3.492 postos), seguido por Serviços (-3.484 postos), Construção Civil (-1.313), Indústria da Transformação (-1.069 postos) e Serv. Industriais de Utilidade Pública (-10 postos). Os setores que apresentaram saldos positivos foram: Agropecuária, Ext. Vegetal, Caça e Pesca (+1.017 postos), Administração Pública (+419 postos) e Extrativa Mineral (+130 postos).

RMS e interior

Analisando os dados referentes aos saldos de empregos distribuídos no estado, em fevereiro de 2016, constata-se que o resultado do emprego foi negativo tanto RMS quanto no interior. De forma mais precisa, na Região Metropolitana de Salvador foram encerrados 4.219 postos de trabalho e no interior fecharam 1.593 posições celetistas.

Quanto ao saldo de emprego de janeiro a fevereiro de 2016, enfatiza-se que a RMS (-6.348) e o interior (-1.454) encerraram postos de trabalho com carteira assinada.

Entre os municípios com mais de 30 mil habitantes que tiveram os menores saldos de empregos, em fevereiro de 2016, ressaltam-se Salvador (-2.989 postos), Camaçari (-710 postos) e Porto Seguro (-632 postos). Em contrapartida, Jequié (+247 postos), Dias D’Ávila (+233 postos) e Santo Estevão (+191 postos) se destacaram na criação de novas oportunidades de trabalho formal na Bahia.

Fonte:CTB Bahia

Compartilhe:

Deixe seu recado