Camaçari: Mulheres acusam loja de racismo

Uma funcionária acusou as irmãs Áurea e Dulce Santos de roubo. Testemunhas relataram que as irmãs foram obrigadas a abrir suas bolsas. As duas foram até a porta central da unidade, retiraram todos os objetos que estavam guardados e foi constatado por todos os presentes que não havia ocorrido roubo. “Isso é preconceito, só porque somos negras! Quando nós seremos respeitadas neste país?”, reclamou Dulce. Em alguns minutos, dezenas de pessoas se aglomeraram em frente à loja e começaram a gritar: “É preconceito, é preconceito!”. “Essa é mais uma demonstração que o racismo ainda é forte na nossa sociedade. O fato propõe uma reflexão sobre a questão, para que as pessoas entendam que essa realidade deve ser mudada. Como presidente da comissão, vou convocar Dulce e Áurea e o representante da loja para serem ouvidos”, anunciou o vereador.

 

Compartilhe:

Deixe seu recado