Campanha salarial é retomada – Palavra de ordem é paralisar

A Campanha foi lançada em fevereiro e de lá para cá não houve avanços porque os empresários insistem em condicionar a assinatura do acordo a retirada da alimentação. “Vamos visitar o comércio como um todo para conversar com os comerciários, comerciárias e com a sociedade e mostrar que este comportamento dos empresários está prejudicando a vida do nosso povo, a vida dos trabalhadores. Buscamos o entendimento, chamamos na Superintendência Regional do Trabalho e no Ministério Público mas eles não compareceram. Isso é um desrespeito muito grande com os trabalhadores e com a sociedade. Por isso nós vamos parar o comércio de Salvador. O momento é oportuno porque estão chegando as festas de fim de ano, quando o comércio tem suas vendas aquecidas. Acordo já se não o comércio vai parar!”, afirmou Jaelson Dourado.

FEC Bahia apoia a categoria

A Federação dos Comerciários da Bahia abraçou a luta dos trabalhadores de Salvador e está presente nas atividades. “Estamos observando a postura do empresariado do comércio, que é uma postura desrespeitosa. São 9 meses sem sentar a mesa de negociações desrespeitando também o chamado das entidades públicas responsáveis por conciliações. Isso é um absurdo e estamos aqui com os comerciários na luta. Não temos dúvidas que a alternativa é a paralisação, único meio de pressão que os patrões respeitam.”, destacou Reginaldo Oliveira, presidente da Fec Bahia.

“Nunca houve na história dos comerciários este tipo de comportamento por parte dos patrões, que não sentam a mesa para discutir e impõem a retirada da alimentação, uma vitória conquistada com muita luta e suor. Convocamos aqui todos os trabalhadores para que reajam e construam conosco as greves para mudar esta realidade”, completou Renato Ezequiel, secretário do Sindcom.

Compartilhe:

Deixe seu recado