Carnes bovinas ficam mais caras, e IPC-S acelera em prévia, diz FGV

Entre as sete classes de despesa utilizadas no cálculo do IPC-S, quatro apresentaram acréscimo em suas taxas de variação, com destaque para o grupo alimentação (de 0,42% para 0,62%), por sua vez puxado pelas carnes bovinas (de 1,49% para 2,25%).

Apresentaram comportamento semelhante os grupos transportes (de -0,09% para -0,03%), vestuário (de 0,64% para 0,71%) e despesas diversas (de 0,11% para 0,18%), com destaque para álcool combustível (de -0,07% para 0,70%), calçados (de -0,24% para 0,24%) e clínica veterinária (de 0,29% para 0,85%).

Na contramão, tiveram desaceleração os gastos com habitação (de 0,51% para 0,46%), educação, leitura e recreação (de 0,47% para 0,38%) e saúde e cuidados pessoais (de 0,41% para 0,37%), com destaque para condomínio residencial (de 1,54% para 0,74%), hotel (de 1,40% para 0,99%) e serviços de cuidados pessoais (de 0,65% para 0,53%).

Tags:
Compartilhe:

Deixe seu recado