Central sindical manifesta preocupação com impasse sobre o metrô

Na nota, a entidade ressalta que a construção do metrô se arrasta por 13 anos e segue sem data definida para conclusão: dos 12 quilômetros do projeto inicial apenas 6 foram construídos ao custo de cerca de R$ 700 milhões. Além disso, destaca, os vagões adquiridos em 2008, por R$ 100 milhões, estão em galpões sendo sucateados. “Um desrespeito com o dinheiro público”, classifica.

Para a CTB, o maior prejudicado com a situação é, sem dúvida, o trabalhador: “Enquanto as capitais brasileiras e as maiores cidades do mundo investem em modernos sistemas de transportes, Salvador parece parada no tempo, impondo a sua população a humilhação de conviver com um trânsito caótico, ônibus sucateados, lotados, atrasos nas linhas e congestionamentos diários, que consomem a qualidade de vida do trabalhador”.

A entidade defende que a decisão sobre quem deve explorar o trecho de ônibus que levará ao metrô não pode atender interesses comerciais ou políticos, mas sim o interesse do cidadão que exige a escolha da solução que menos onere a tarifa, diz a nota.

“A expectativa da CTB Bahia é que um acordo sobre o sistema de alimentação do metrô chegue em breve e que traga consigo a proposta de uma tarifa menos exorbitante do que a que vem sendo praticada hoje pelo péssimo serviço prestado pelas empresas que administram o sistema de transporte coletivo em Salvador”, conclui o documento, que é assinado pelo presidente regional, Adilson Araújo.

Compartilhe:

Deixe seu recado