Cerca de 8 mil operários da construção civil voltam ao trabalho, diz sindicato

O presidente do Sintepav informou ao G1 que as empreas aceitaram uma proposta feita pelo sindicato que garante aos trabalhadores 10% de reajuste salarial, R$ 180 em cesta básica, horas extras de 80% aos sábados, assistência médica e compensação dos dias não trabalhados durante a greve, atavés de duas horas a mais na carga horária diária durante uma semana, o que totaliza dez horas pagas às empresas.

Cerca de 23.500 trabalhadores da construção civil ainda estão com as atividades paralisadas por falta de acordo com o sindicato patronal, segundo informações do sindicato da categoria. A expectativa é que haja um acordo entre as duas partes nesta terça-feira (24), quando os representantes dos operários e das empresas se reúnem mais uma vez. Em um encontro feito nesta segunda, não houve acordo além do que foi aceito pelos 8.200 trabalhadores que retomaram as obras.

De acordo com o Sintepav, com a volta ao trabalho desse operários nesta segunda, já chega a mais de 11.200 o número de operários trabalhando nas obras que estavam paradas. Esse número já é somado com os operários da Arena Fonte Nova, que retomaram as atividades na semana passada.

A greve começou no dia 12 de abril em todos os canteiros de obras da Bahia. Por conta da mobilização, foram interrompidos os trabalhos de construção da Via Expressa, Via Bahia, Ferrovia Oeste-Leste, Parque Naval e linha 1 do metrô.

Compartilhe:

Deixe seu recado