Classistas de toda Bahia presentes no 2º Conselho da CTB

A discussão sobre a conjuntura política e econômica foi o tema central do Conselho. O tema foi abordado em diversos momentos do evento, a começar pelo ato de abertura, quando o deputado federal e presidente do PCdoB na Bahia, Daniel Almeida, falou sobre as articulações golpistas em curso no Congresso Nacional e de suas consequências nefastas para a esquerda e setores progressistas do país.

O assessor político da CTB Humberto Martins aprofundou o enfoque do assunto, falando também da crise financeira internacional, que tem atingido nações nos quatro cantos do mundo, servindo como instrumento para enfraquecimento de governos e favorecendo ofensivas golpistas, a exemplo do que acontece no Brasil, Venezuela, Argentina e Uruguai.

No Brasil, a instabilidade ganhou contornos ainda maiores com a eleição de um grande número de empresários, fazendeiros e outros representantes dos setores econômicos para o Congresso Nacional, além da redução da bancada sindical e de defensores das minorias. O resultado é aprovação de medidas prejudiciais aos trabalhadores, como o Projeto de Lei 4330, que amplia a terceirização, a redução da maioridade penal e a institucionalização do financiamento empresaria da campanha eleitoral.

“O momento é complexo e exige um debate constante entre nós, pois precisamos entender que esta não é uma crise gerada só por problemas locais. A situação é reflexo da crise do capitalismo mundial. O que estamos vendo são os países imperialistas, como os EUA, tentando impor sua hegemonia sobre outras nações. E nós temos a importante tarefa de evitar que isso aconteça na América Latina. Pois, se derrotarem a democracia no Brasil, isto terá reflexos em toda a região, enfraquecendo outros governos progressistas. É isto que está em jogo com as ameaças ao governa da Presidenta Dilma”, acrescentou Aurino Pedreira, presidente da CTB Bahia.

Diante de todos os argumentos expostos, as lideranças presentes assumiram o compromisso de montar uma ampla frente de resistência a qualquer tentativa de golpe que ocorra no país. A primeira tarefa já está definida: a construção de um grande ato em defesa da democracia nas principais cidades do estado no dia 20 de agosto.

Organizando a luta

A programação do Conselho reservou espaço também para debater questões internas da CTB.Logo pela manhã, o dirigente Pascoal Carneiro falou sobre os números da CTB nacional.A contribuição financeira dos sindicatos, o fortalecimento do processo de formação, a renovação na direção das entidades e a interiorização da atuação da CTB Bahia foram discutidas durante a segunda parte do evento.

Os presentes aprovaram uma moção de apoio às greves dos servidores estaduais da saúde, dos técnicos administratrivos das universidades federais, dos médicos da UPA de Escada e antecipadamente, aos trabalhadores dos postos de combustíveis que devem parar nos próximos dias.

Os baianos apresentaram ainda emendas ao documento base do Conselho, sugerindo medidas para fortalecer a luta pela valorização dos servidores públicos em todos os âmbitos e também por trabalho digno para jovens, mulheres e negros. O encontro definiu ainda a delegação baiana que vai participar do 2º Conselho Nacional da CTB, no final de setembro.

“O Conselho foi um sucesso, tanto pela qualidade do debate, quanto pelo grau de representatividade, com a participação de gente de diversas regiões do estado e também de todos os ramos de atuação em que a CTB faz parte. Todos os núcleos de bases e sindicatos filiados também estiveram presentes no evento. Isso mostra o grau de unidade e comprometimento dos sindicatos cetebitas e isto é muito importante, principalmente neste momento complexo em que estamos vivendo”, comemorou Aurino.

FONTE: CTB BAHIA

Compartilhe:

Deixe seu recado