Codecon autua supermercado por venda de produtos estragados

O estabelecimento tem até dez dias para apresentar a defesa, sob risco de sofrer um processo administrativo, com valores de multa que variam de 200 a três milhões de UFIR´s.

A operação, que segue a programação do órgão de fiscalização, tem o intuito de evitar que produtos alimentícios sejam comercializados fora da data de validade.

De acordo com a chefe de fiscalização da Codecon, Rose Estrela, a população precisa estar alerta às datas de validade e, mesmo dentro do prazo, o aspecto dos produtos pode demonstrar a falta de cuidado de armazenamento de qualquer mercado. “O acondicionamento dos alimentos também tem que ser verificado porque, mesmo dentro da validade, eles já podem estar estragados”, alertou Rose Estrela.

A fiscalização encontrou ovos, frutas embaladas, iogurte e macarrão instantâneo com a data de validade vencida. Outros produtos não continham a data de fabricação, o que causava dúvida do tempo do produto acondicionado naquela embalagem.

Enquanto a equipe da Codecon percorria as gôndolas do supermercado, funcionários tentavam retirar outros produtos já vencidos, horas depois do estabelecimento já estar em funcionamento pleno. “Assim, quem veio fazer compras logo cedo, pode ter levado o produto já vencido sem perceber”, explica. Todo o material recolhido foi levado para os fundos do supermercado e destruído pelos agentes.

Nota do Bompreço

O Bompreço Nazaré divulgou nota informando ter aberto uma investigação interna para apurar as causas da autuação da loja por parte do Codecon

A unidade disse, também, que acionou os fornecedores de produtos recolhidos durante a fiscalização para esclarecer junto a eles algumas informações contidas nos rótulos.

E disse contar com um grupo multidisciplinar de funcionários – chamado Brigada da Validade – que diariamente vistoria as condições gerais da loja e verifica os prazos de validade dos produtos.

Compartilhe:

Deixe seu recado