Comer fora de casa fica 12,89% mais caro

Os números são do IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), divulgados nesta terça-feira (20) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) que apontam ainda uma alta, só este ano, de 8,11 % para os que são obrigados a comer fora de casa em Salvador.

Considerando apenas o mês de setembro, o consumidor que se alimenta fora de casa está desembolsando 0,49% mais do que em agosto em nossa capital. Neste caso, o destaque ficou com o café da manhã, que pesou 0,8% a mais no bolso. Depois, aparecem o lanche (0,669%) e outras bebidas alcoólicas (0,55%).

De janeiro a setembro, consumidores de Curitiba e Recife foram os mais penalizados pelo aumento de preços ao comer fora de casa. No domicílio, o Rio de Janeiro é a capital onde os preços da alimentação no domicílio mais subiram, com alta acumulada em 12 meses de 11,06%, frente à média nacional de 9,91%.

De janeiro a setembro, a alimentação em casa subiu 2,74%, com destaque também para o Rio de Janeiro, onde a alta foi de 5,60%. Neste mês, a alimentação feita em casa ficou 0,88% mais cara, com a maior alta novamente no Rio de Janeiro, de 1,61%.

Compartilhe:

Deixe seu recado