Comerciária é reintegrada a empresa após decisão judicial

A decisão foi da Juíza do Trabalho Tânia Magnani de Abreu Braga (Tribunal Regional do Trabalho – 5ª Região), que determinou ainda imediato retorno ao plano de saúde e aplicou multa de R$ 1mil por dia no caso de descumprimento da decisão.

Os comerciários e comerciárias devem ficar atentos a qualquer tipo de discriminação, preconceito, abuso de poder, homofobia e racismo no ambiente de trabalho. E quando se sentirem prejudicados devem procurar o departamento jurídico do Sindicato para que a justiça seja acionada e os direitos dos trabalhadores preservados. Só assim tais comportamentos serão banidos da sociedade. “Mais que a garantia de um direito, o que está em jogo é a preservação da dignidade humana.”, afirmou a advogada Gersonita Santos, que moveu a ação.

Compartilhe:

Deixe seu recado

Deixe seu recado