Comerciários contra PEC que prejudicará salários e vendas

O presidente da CTB Bahia, Aurino Pedreira, afirmou que o dia 11 prepara novas ações para tentar barrar a PEC 55 (foi 241 na Câmara Federal) no Senado e impedir as reformas da Previdência e das leis trabalhistas. “Faremos outro protesto no dia 20 de Novembro, junto com o movimento negro, e preparamos a greve geral para o final do mês. Os trabalhadores e a sociedade precisam perceber a gravidade dessas medidas para a população”, disse.


Reforçando o protesto, dirigentes dos Comerciários e da FEC Bahia alertaram para os efeitos negativos da PEC para o comércio. “O congelamento dos investimentos afetará o reajuste do salário mínimo, que é parâmetro importante nas negociações salariais das categorias. Isso prejudicará as vendas, fará cair o consumo e os rendimentos dos comerciários”, frisou o presidente do Sindicom, Jaelson Dourado.

Para o secretário geral da Federação, Renato Ezequiel, é melhor parar agora para impedir perdas no período de 20 anos. “A FEC está mobilizando os sindicatos na Bahia para reforçarem as manifestações pelo interior. A PEC 55 e as reformas da Previdência e trabalhista precarizarão ainda mais o trabalho”, ponderou.

“Essas medidas aumentarão o desemprego no País, produzindo consequências preocupantes para os comerciários e trabalhadores de todas as categorias”, declarou Edvã Galvão, vice-presidente do Sintrasuper, que representa os comerciários de supermercados.

Compartilhe:

Deixe seu recado