Comerciários da Av. Sete de Setembro aderem a Campanha

“Ainda não chegamos a uma proposta satisfatória que atendesse às nossas necessidades. Por isso estamos mais uma vez nas ruas, agora na Avenida Sete de Setembro, e vamos construir o segundo momento da campanha, que é aumentar a pressão para que os empresários apresentem uma proposta que valorize aqueles que fazem o comércio crescer e ser o terceiro maior deste país”, afirmou Jaelson Dourado, Presidente do Sindicato.

Supermercados

Os comerciários dos supermercados também aderiram a campanha. As lojas Hiper Bompreço, Extra, Atacadão e GBarbosa já foram visitadas. O setor de supermercados é considerado o pior do comércio para o trabalho. As empresas prejudicam os trabalhadores com altas jornadas, perseguições por parte das chefias, desvio de função, entre outros. Além disso, os patrões não aceitam assinar acordos que valorizem a categoria. “As negociações já iniciaram, porém, em passos lentos. O Sintrasuper convida os trabalhadores e trabalhadoras para irem às ruas e apoiar nossas atividades e nossas bandeiras de lutas para que tenhamos um acordo digno e justo, que contemple as necessidades dos trabalhadores”, disse Adilson Alves, Presidente do Sintrasuper.

Dia Internacional da Mulher

As secretárias do Sindicato aproveitaram a atividade para homenagear as mulheres comerciárias pelo seu dia, e lembraram das dificuldades vividas pelas trabalhadores no mercado de trabalho. “A campanha salarial tem bandeiras importantes para as mulheres como creches nas empresas e trabalho decente. Vale lembrar que a data de hoje foi criada porque as trabalhadoras de uma fábrica foram mortas reivindicando seus direitos, e isso precisa ser lembrado, especialmente no contexto do comércio, que explora as trabalhadoras”, disse Cherry Almeida, secretária de gênero.

Lançamento

A Campanha Salarial 2012 foi lançada em fevereiro, com o bloco de carnaval dos comerciários. De lá para cá diversas manifestações foram realizadas. Mas para garantir novas conquistas a participação do trabalhador é fundamental, como pontou Renato Ezequiel, diretor do Sindicato. “Os comerciários precisam erguer a cabeça e se mobilizar. O comércio de Salvador vem crescendo há 7 anos consecutivos porque somos produtivos. Os patrões precisam dividir o bolo com aqueles e aquelas que fazem a economia e o comércio crescerem”, concluiu Renato.

Compartilhe:

Deixe seu recado