Comerciários na maior festa popular do planeta

A animação foi geral. A maior categoria de trabalhadores de Salvador levou sua alegria para a maior festa popular do planeta. Com o tema: “Na folia também de luta”, cerca de 1200 comerciários participaram pelo 2º ano consecutivo do Bloco Grito dos Comerciários. O grupo desfilou na quinta-feira (03/03) e foi animado por uma banda de sopro, que saiu do Campo Grande em direção a Praça do Poeta, retornando pela Rua Carlos Gomes, uma volta no Circuito Osmar, tradicional do Carnaval de Salvador. “O Sindicato está de parabéns por trazer um bloco com banda de fanfarra para a avenida e dá oportunidade para todos participarem. É a minha primeira vez e o que vejo é respeito e calor humano, onde todos se divertem com liberdade de forma democrática”, afirmou a comerciária Rosane Freitas. “É um momento oportuno e aproveitamos a festa momesca para levar o nosso grito de alerta para a sociedade e mostrar que os comerciários, uma categoria tão importante na sociedade, não é valorizada na terceira capital do país em desenvolvimento do comércio”, disse Jaelson Dourado, Presidente do Sindicato.

Sem cordas

Como nos carnavais dos velhos tempos, o bloco não tem corda e arrastou uma multidão que aderiu a luta. Dançando e cantando músicas que foram e são até hoje sucessos, os trabalhadores não deixaram de reivindicar seus direitos. Entre as figuras presentes, José Hélio, comerciário aposentado de 64 anos que adora carnaval e não perde um minuto da festa. Segundo ele, “A categoria comerciária nunca viu isso, estava morta e agora tem representatividade, inclusive na nossa maior festa de rua. Uma iniciativa muito importante do Sindicato principalmente por trazer as marchinhas de carnaval para as ruas da cidade. Ultimamente vemos um carnaval de elite, industrializado, onde não há espaço para o folião pipoca. É o comerciário na avenida em dia de folia para reivindicar seus direitos’.

A comerciária Tarcila Pessoa vê no carnaval do centro da cidade um espaço importante para reivindicar seus direitos e expressar sentimentos, por se tratar de um espaço tradicional do comércio de Salvador. “O carnaval é uma manifestação popular e um espaço para reivindicar nossos direitos, também é um bom momento para expressar nossos sentimentos”, completou.

Fec Bahia

A Fec Bahia esteve presente em mais um momento de luta e alegria dos comerciários de Salvador através do seu presidente e fundador Reginaldo Oliveira. “Pelo segundo ano estamos aqui representando a categoria e trazendo para a avenida a Campanha Salarial 2011. Não podemos ficar de fora dessa festa porque sabemos da paixão do povo baiano pelo carnaval. Além disso, é um bom momento para difundir as lutas e bandeiras da categoria. Este ano aumentamos em 50% o número de abadas vendidos, o que representa maior apoio da categoria às nossas lutas e bandeiras”, afirmou Oliveira.

Supermercados

Mas nem tudo é festa no carnaval de Salvador, há também muito trabalho. Como os supermercados não fecham nos dias de folia, nem todos os comerciários podem curtir e se divertir como bem merecem por trabalharem todos os dias do ano. “Sabemos que parte da categoria trabalha durante o carnaval e sentimos muito pela retirada dos seus direitos. Mas estamos aqui para mostrar à sociedade as reivindicações da categoria, e a energia que temos aqui fortalece a luta e a campanha salarial, que precisa garantir novos benefícios para estes profissionais”, completou Antonio Suzart, diretor do setor de supermercados.

Compartilhe:

Deixe seu recado