Comerciários param atividades na Tutti Presentes

De acordo com os comerciários, o sistema de informática da rede foi modificado em dezembro e está apresentando diversos erros no estoque e nas vendas, tais erros estão sendo atribuídos aos trabalhadores, demitidos sem o pagamento de seus direitos trabalhistas. O Sindicato se reuniu com representantes da empresa e a mesma informou que vai continuar com o processo mesmo sem comprovar os desvios.

Ministério do trabalho será acionado

Segundo Jaelson Dourado, presidente do Sindicato, as manifestações vão continuar até que a empresa reveja sua atitude perante os trabalhadores. “Repudiamos a atitude da empresa em punir os trabalhadores aplicando justa causa sem a devida apuração. Vamos continuar com o processo de lutas e manifestações nas lojas e dentro dos shoppings para exigir uma posição clara quanto ao pagamento das rescisões de contrato. Outro exemplo de desrespeito aos trabalhadores está no não cumprimento da Convenção Coletiva no que se refere a alimentação, que a empresa não está pagando. Vamos acionar a Superintendência regional do trabalho para buscar uma mediação e resolver este impasse.”, afirmou.

Cárcere privado

Durante as manifestações, o Shopping Piedade praticou o crime de cárcere privado, ao fechar todas as portas de acesso do centro de compras e impedir que clientes e trabalhadores entrassem ou saíssem do local. Uma demonstração de arrogância e autoritarismo dos empresários, que não respeitam os trabalhadores nem os seus direitos.

 

 

Compartilhe:

Deixe seu recado