Comerciários no 4º Congresso da UEB em Ilheus

No encontro, foram debatidas questões envolvendo as universidades baianas e foi eleita a nova direção da entidade, que terá como presidente Luciano Marques, estudante de direito da UNIME, Lauro de Freitas. “O CONUEB foi rico no debate político, participativo. Foram apresentadas várias proposições pelo conjunto dos estudantes que souberam conviver com a diversidade de opiniões. A UEB inicia uma nova gestão com o ânimo renovado para tocar a luta em todas as regiões do estado e fazer com que nossa entidade esteja cada vez mais presente no cotidiano dos estudantes baianos”, avaliou Muciano.

Defesa por mais autonomia, revogação da lei 7176/97 e maior financiamento foram algumas das principais demandas levantadas pelos participantes e deram o tom ao congresso. A nova direção terá o desafio de apresentar um plano de re-estruturação para as universidades estaduais; avaliar o desempenho do Plano de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI) nas universidades federais do estado; combater o aumento de mensalidades; barrar a invasão do capital estrangeiro nas instituições particulares e uma ampla política de assistência estudantil.

A UEB foi fundada em 1943, desativada no período da ditadura militar e reconstruída em 2005. O congresso da UEB é etapa estadual para o congresso da UNE (CONUNE) que acontece em Goiânia-GO de 13 a 17 de Julho. A entidade fez parte das principais batalhas políticas no estado, como a luta pela construção da Petrobras, bem como o combate aos “anos de chumbo”.

No grupo de trabalho (GT) de políticas públicas para a juventude, que contou com o comerciário Alfredo Santiago (estudante do curso de Jornalismo – Unime/ Salvador), foram apresentados temas como: as dificuldades do estudante/trabalhador de se manter nas faculdades, devido sua jornada de trabalho abusiva; o aumentos da mensalidade; as perseguições no local de trabalho, quando muitos trabalhadores são forçados a decidir pelos estudos ou o trabalho.

Para a comerciária Rosemeire Correia, estudante Unime Salvador, “O 4º Congresso foi rico nos debates com várias intervenções dos participantes nos Gts mostrando a necessidade de participarmos no dia a dia das nossas faculdades e discutirmos qual o modelo de ensino e faculdade que queremos, pontuando as dificuldades das estudantes trabalhadoras com sua tripla jornada de trabalho”, poderou Rosemeire.

Os comerciários Gilmar estudante do curso Multimídia – Unijorge, Lívia cursando ADM na Faculdade da Cidade, Alessandra Silva da Estácio – FIB, Edvã Galvão, Eva Ribeiro Lima cursando Recursos Humanos – Unime/ Lauro de Freitas, também participaram do Congresso da UEB.

Compartilhe:

Deixe seu recado