Comércio fechado em protesto contra terceirizações

“Estamos aqui para dizer não ao Projeto de Lei 4330 e pressionar o Congresso a votar medidas de interesse da classe trabalhadora, como o fim do fator previdenciário; redução da jornada de trabalho sem redução de salários; transporte público de qualidade, com mobilidade urbana e redução da tarifa.”, declarou Jaelson Dourado, presidente do Sindicato.

Luta fortalecida

A atividade fez parte do ato nacional organizado pelas Centrais Sindicais denominado Dia Nacional de Lutas e Mobilizações, e várias categorias de trabalhadores realizaram paralisações e manifestações em todo o Brasil. “A CTB está aqui presente para fortalecer a causa dos comerciários. Vamos fechar o comércio porque as transformações só acontecem com união e muita luta”, destacou Aurino Pedreira, presidente da CTB Bahia.

Retrocesso

O Projeto é um retrocesso na legislação trabalhista, ao permitir a terceirização na atividade fim da empresa, possibilitando, assim, inexistência de vínculo empregatício. Além disso, extingue a responsabilidade solidária, aquela em que as empresas tomadoras de serviços ficam responsáveis por quitar obrigações trabalhistas não compridas pela terceirizada. Uma manobra que fragmenta a classe trabalhadora e enfraquece a representação sindical, deixando os trabalhadores ainda mais vulneráveis.

Apoios

Trabalhadores da construção civil e bancários realizaram atos em vários pontos da cidade e apoiaram a causa. “Apoiamos a luta dos comerciários porque caso o projeto seja aprovado vai retirar a responsabilidade das empresas principais e passar para as terceirizadas, que hoje não pagam os direitos dos trabalhadores e nos obrigam a recorrer a Justiça do Trabalho e ao Ministério Público. “, afirmou Armando de Jesus, dirigente sindical da construção civil.

 

Compartilhe:

Deixe seu recado