Conferência de Políticas para as Mulheres inicia em Salvador

Na programação do evento, que vai até sexta-feira, 13/11, estão temas como a violência contra a mulher, empoderamento feminino, intolerância racial e religiosa e todos os tipos de discriminação a que as mulheres estão expostas.

O eixo principal da 4ª Conferência é “Mais direitos, participação e poder para as mulheres” e subdividido em eixos temáticos. Entre estes, serão debatidos assuntos como o papel dos movimentos de gênero e sua influência na construção de políticas públicas para as mulheres, que se reflitam na aproximação, cada vez maior, para a constituição de uma sociedade com igualdade de gênero.

IMG_9957

Segundo a dirigente comerciária e vice-presidenta da CTB/BA – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, Rosa de Souza, o atual momento de dificuldades políticas e econômicas, aliado aos ataques a democracia brasileira, exigem que as mulheres assumam o protagonismo da defesa e ampliação de seus direitos.

“A Conferência da Bahia foi a que teve a maior mobilização entre as conferências que estão acontecendo pelo Brasil. Nós, baianas, estaremos levando para a conferência nacional a reivindicação da manutenção dos ministérios e secretarias que promovem políticas para os movimentos sociais, mas também sinalizando para o governo que as alternativas para a crise mundial que se reflete no país, passa pela retomada do desenvolvimento com a valorização dos setores produtivos, nos quais as mulheres estão fortemente inseridas. Sem esquecer, obviamente, da ampliação das políticas para as mulheres”, afirmou Rosa.

As reivindicações aprovadas na 4ª Conferência da Bahia, que conta com cerca de 1300 mulheres, serão encaminhadas para a Conferência Nacional que acontece em março de 2016. A Bahia elegerá 157 delegadas.

Por Sônia Corrêa – Ascom/Sindicom

Compartilhe:

Deixe seu recado