Confiança do consumidor aumenta em novembro, diz FGV

A melhora das avaliações sobre o momento atual e das expectativas em relação ao futuro influenciaram o aumento da confiança dos consumidores. Depois de cair por três meses, o Índice da Situação Atual (ISA), um dos que integram o cálculo do ICC, cresceu 5,2%, de 132,4 para 139,3 pontos. O Índice de Expectativas, que também compõe o Índice de Confiança, subiu 2,0%, de 106,2 para 108,3 pontos.

Em novembro, a proporção de consumidores que a avaliam a situação econômica presente como boa subiu de 22,6% para 25,1% e a dos a julgam ruim recuou de 24,5% para 18,9%.

Quanto ao otimismo em relação à evolução da situação econômica nos seis meses seguintes, a parcela de consumidores que preveem melhora subiu de 24,3% para 26,3% e a dos que acreditam que vá piorar caiu de 25,6% para 18,5%.

“Apesar da evolução favorável, o nível do indicador está ainda abaixo da média histórica”, disse a FGV, por meio de nota.

Compartilhe:

Deixe seu recado