CORAGEM PRA AVANÇAR – Campanha salarial dos Comerciários ganha as ruas

O tema central, CORAGEM PRA AVANÇAR, é o aglutinador das bandeiras de luta por aumento de salário, que contemple a reposição da inflação do último ano, acrescido de ganho real de 4%.

Mas, os trabalhadores não se limitam a luta por melhores salários. Eles defendem também a valorização do trabalho, com a redução da jornada de trabalho, sem redução de salários, aumento no vale-alimentação, entre outras questões que visam valorizar o comerciário. Também reivindicam que o ambiente de trabalho seja saudável, salubre e decente, impedindo que os trabalhadores adoeçam e/ou se acidentem.

Jaelson Dourado, presidente do Sindicato dos Comerciários, informa que hoje (17) haverá a primeira rodada de negociação, onde os sindicalistas apresentarão ao patronato as questões cruciais para a categoria comerciária. “Os números comprovam que não existe uma crise econômica no país. O que há é uma crise de caráter político. Portanto, as reivindicações de aumento salarial, com ganho real de 4% além da inflação que, neste momento, apresentamos são justas e possíveis de ser alcançadas pelos trabalhadores”, garante o presidente.

“Para garantirmos que nossas reivindicações sejam atendidas, precisamos que a categoria esteja mobilizada e reforçando a luta do Sindicato. Por isso, estamos fazendo um chamamento aos comerciários, para que venham se juntar a nós. Somos nós, comerciários que movimentamos a cidade de Salvador”, justifica Adilson Alves, presidente do Sintrasuper.

Reginaldo Oliveira, presidente da Federação dos Empregados no Comércio (FEC Bahia), diz que as bandeiras de luta que os comerciários estão levando para os empresários são possíveis de alcançar, com a mobilização que já inicia com a força dos trabalhadores na rua. “O comércio do Brasil e o comércio de Salvador teve um crescimento médio de 5% a 7% ao ano, nos últimos 12 anos. Portanto, as bandeiras que apresentamos contém os elementos para fazermos uma discussão aprofundada da situação dos comerciários da capital baiana”, afirma Oliveira.

Por Sônia Corrêa – Ascom Sindcom

Compartilhe:

Deixe seu recado