Dilma torna permanente desoneração da folha

Com a medida, os setores beneficiados pagam apenas o equivalente a 1% e 2% de seu faturamento, em troca dos 20% dos pagamentos da contribuição das empresas para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que existia anteriormente. Com isso, as empresas deixarão de pagar R$ 24 bilhões em impostos apenas em 2014. Para o ministro Mantega, os objetivos da desoneração estão sendo alcançados.

“O objetivo era reduzir o custo da mão de obra sem diminuir salários, aumentando a competitividade da empresa brasileira. Os produtos brasileiros ficam mais baratos não só aqui dentro, mas lá fora porque essa desoneração é plena para as exportações. Foi constatado também que isso aumentou o nível de emprego, e é uma das razões pelas quais o emprego no Brasil continua se expandindo, à diferença de outros países. Aumentou a formalização porque ficou mais barato manter um trabalhador com carteira assinada”.

Otávio Vieira da Cunha Filho, presidente da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), explica como a desoneração beneficia não apenas as empresas, mas também a população.

“Nós ressaltamos que o setor do transporte conseguiu durante esse período a manutenção dos preços das passagens à medida que a desoneração favoreceu. Além do mais, a desoneração que o governo federal fez para o setor estimulou prefeituras e estados a também fazerem a desoneração do setor para evitar o aumento da passagem.”

Fonte: Blog do Planalto

Compartilhe:

Deixe seu recado