Em Salvador, Dilma é recebida aos gritos de “Não vai ter golpe”

Ao ser recebida pelo comandante da embarcação, Dilma ouviu manifestantes gritando “Não vai ter golpe!”. A presidenta acenou para a multidão, que empunhava cartazes contra a tentativa de impeachment em andamento na Câmara dos Deputados, e seguiu, junto ao ministro da Defesa, Aldo Rebelo, para conhecer a embarcação.

Dilma fez questão de agradecer a demonstração de apoio e defesa da legalidade. “Queria agradecer a todos os manifestantes que se colocam aqui debaixo de chuva defendendo a nossa democracia e defendendo a institucionalidade do nosso país”, disse ela, durante a cerimônia.

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), que participou do evento, também citou os manifestantes em seu discurso. “O povo lá fora, debaixo da chuva, está dizendo que o seu voto tem que ser respeitado. Se alguém quer chegar ao governo de forma legítima, que se candidate e apresente suas propostas ao povo brasileiro pra que ele possa votar no momento oportuno”, disse o governador.

Sobre o navio, a presidenta destacou que se trata de um reforço no “nosso poder naval em ações de caráter humanitário e auxílio a desastres”. Ela também destacou a versatilidade do equipamento, que é compatível com as múltiplas funções exercidas pela Marinha do Brasil. “A lista é longa e inclui a proteção das nossas águas jurisdicionais, a Amazônia azul e as malhas hidroviárias”, disse.

Foto: Fernando Udo
Foto: Fernando Udo

Dilma reforçou o compromisso de seu governo em ampliar os investimentos. ”Por isso, na proposta da revisão da lei Orçamentária de 2016, incluímos o abatimento de R$ 3,5 bilhões para garantir a continuidade destes projetos”, reafirmou Dilma que, se referiu ao avião cargueiro KC-390, lançado nesta segunda-feira (4), em Brasília, ao satélite geoestacionário de Defesa e Comunicação Estratégica, e ao Programa de Desenvolvimento de Submarinos, o Prosub.

“Nos últimos anos realizamos importantes investimentos no equipamento e pessoal das Forças Armadas. Com este navio, reforçamos nosso poder naval em atividades típicas do governo e em ações de caráter humanitário”, salientou a presidenta.

O navio tem capacidade para transportar tropas anfíbias, com heliponto, e atuar em ações humanitárias, como as que a Marinha do Brasil cumpre no Haiti e no Líbano. A embarcação foi adquirida por meio de um acordo firmado entre os governos brasileiro e francês.

“O navio oferece à Marinha brasileira um instrumento com capacidade de operar tanto na costa brasileira como fora dela em múltiplas missões exigidas pela força naval”, disse o ministro Aldo Rebelo.

Segundo ele, o navio se junta ao KC-390 como uma das principais iniciativas para modernizar a estratégia de defesa país. “O Brasil tem 17 mil quilômetros de fronteiras para proteger, para resguardar a integridade, a inviolabilidade e a unidade do nosso território, tem um espaço aéreo continental que precisa ser vigiado dia e noite”, pontuou.

“No caso da Marinha, são 4,5 milhões de quilômetros quadrados de águas jurisdicionais e nós temos a necessidade de defender essa Amazônia azul”, concluiu Rebelo.

Fonte: Portal Vermelho

Compartilhe:

Deixe seu recado