Rodoviários receberam 7,5% e empresários reivindicaram 26%

Iniciamos as discussões sugerindo a implantação de um sistema de ar condicionado nos ônibus, a fim de proporcionar maior conforto aos usuários tendo em vista o clima da nossa cidade. Tratamos a questão da descentralização da recarga dos cartões de passagem, com um sistema que permita ao usuário facilidade na hora da recarga, porque apenas 4 postos é insuficiente para uma cidade como Salvador. Lutamos contra a privatização das estações de transporte público da cidade, porque acreditamos que o poder público é quem deve gerir os serviços prestados a população e não colocar na mão de empresas privadas que exploram a sociedade.

Em 2011 realizamos manifestações para cobrar das autoridades o retorno do Plano Inclinado Gonçalves e nos reunimos com o Secretário João Leão, que nada resolveu e o equipamento continua parado há mais de um ano prejudicando trabalhadores e empresários da Cidade Baixa, que estão fechando as portas e demitindo mães e pais de família. Sem a interferência do poder público a tendência é que aquela parte da cidade fique esquecida como vem acontecendo com a Baixa dos Sapateiros. Ano passado mais uma vez fomos às ruas para falar com a sociedade sobre a qualidade do nosso transporte. Visitamos as estações e mostramos o abandono e o descaso que nosso povo está vivendo.

Agora nos deparamos com o aumento absurdo de 26% solicitado pelos empresários do setor de transportes da nossa cidade, que oferecem um serviço de má qualidade, pagam péssimos salários aos seus trabalhadores e visam apenas os lucros. Mais uma vez vamos nos unir à sociedade na luta para evitar que trabalhadores e cidadãos sejam deixados de fora de uma discussão que lhes trará prejuízos como consequência da irresponsabilidade dos nossos gestores.

Compartilhe:

Deixe seu recado