Entidades e federações apoiam uso racional da energia elétrica

Ele citou a questão da inclusão da Bahia no horário de verão. “Se aproveitar melhor a luz solar deixa de usar a luz artificial e com isso economia energia e água, por isso somos a favor de termos horário de verão, como acontece em 85% dos estados. Vetin ressalta que o governo não deve transferir a responsabilidade para a sociedade.

“Toda escolha gera ônus e bônus e temos que nos acostumar com isso. Se o governo adotar medidas ainda mais punitivas à sociedade, além das que já tem, como aumento de imposto, aumento de energia, é uma forma não adequada de tratar do assunto. É transferi para a sociedade um problema de planejamento governamental do próprio governo. Poderíamos, por exemplo, ter em Belomonte uma produção muito maior de energia e não tivemos porque o governo escolheu uma cota menor para a barragem”, afirmou. O governo federal anunciou que será necessário obter uma redução de 5% no consumo para evitar racionamento.

O Fórum Empresarial da Bahia engloba entidades como a Fe-Comércio, Fieb (Federação das Indústrias da Bahia), CDL (Câmara dos Dirigentes dos Lojistas), Federação da Agricultura, Associação dos Hotéis e Restaurantes, Ass. Dos Shoppings Center, Supermecados, entre outras. Victor Vetin informou que fará uma reunião com representantes de cada setor para elaborar medidas viáveis para o consumo consciente.

Economia de energia

“Primeiro vou tomar ciência de todas as medidas do governo, me aprofundar na questão e logo após vamos nos reunir para definir um projeto. Entendemos que todos precisamos colaborar, desde que não implique em custo excessivos. Se for um apelo para que todos tenham preocupação de consumir de maneira consciente, terá todo nosso apoio”, destacou. Ele ressaltou, no entanto, que independente de reunião as entidades associadas já discutem a questão da energia no país.

“Além de ensinar a economizar energia, nesse momento na qual o país vive existe um forte apelo também para economizar água, já que estamos em uma crise hídrica”, finalizou.

O presidente do Sindicato dos Lojistas, Paulo Mota, disse que apoiará a medida governamental, pois entende a importância do processo de conscientização da sociedade. “Para que não tenhamos riscos de apagão, para não dificultar o funcionamento operacional das empresas, vamos incentivar e orientar o setor a abraçar essa iniciativa”, disse. Ele pontua que a crise energética cria dificuldade para as vendas. “Precisamos ter ótimas luminosidades nas lojas, nas vitrines, e se não tivermos isso traz impacto em nossas despesas, pois perdemos para os concorrentes que tenha boa iluminação”, explicou.

fonte: Tribuna da Bahia

Compartilhe:

Deixe seu recado