Esplanada dá calote em trabalhadores

Segundo Aurea Andrade, sindicalista e funcionária da empresa, a Esplanada desrespeitou seus funcionários surpreendendo-os da noite para o dia. “Chegamos para trabalhar e o gerente nos mandou bater o ponto e desmontar a loja. No final do dia, nos demitiu”, disse a empregada.

A Esplanada havia se comprometido em homologar as rescisões no último dia 20 de novembro, que seria o prazo legal para tanto. Além de não cumprir seu compromisso, prorrogou o prazo para o dia 23/11 e depois disse que os empregados aguardem até o final de semana.

Esplanada 2

 

Diante dos fatos, os trabalhadores estão temerosos pelos seus direitos trabalhistas. Por isso, na amanhã de hoje (24), os trabalhadores protestaram diante da antiga loja, na Av. Sete de Setembro e depois seguiram para a Superintendência do Trabalho, pedir a ação do Ministério do Trabalho.

O presidente do Sindicato dos Comerciários de Salvador, Jaelson Dourado, disse que se for preciso, irão até a matriz da empresa, em Fortaleza, para garantir os direitos dos trabalhadores. “Não vamos admitir o calote sobre pais e mães de família que dedicaram suas vidas pela Esplanada”, assegurou Jaelson.

Compartilhe:

Deixe seu recado