Ex-diretor-presidente da Ebal pediu para deixar cargo, afirma SDE

No sábado (24), a saída do gestor veio à tona a partir de carta de despedida aos funcionários (clique aqui e saiba mais), divulgada pelo jornal A Tarde, no qual ele faz críticas ao governo do Estado. Na carta, ele afirmou que a empresa foi criada como um programa social, mas que, “ao longo do tempo foi mudando seu rumo pelo fato de a Cesta do Povo não ser prioridade do govenro nos últimos anos”.

Ainda segundo informações do A Tarde, a SDE já havia comunicado desde o ano passado, ao titular da pasta, Jorge Hereda, que continuaria no cargo até a realização do leilão da Ebal. O certame estava marcado para o próximo dia 27, mas foi adiado.

“Mesmo com o leilão adiado para abril, Eduardo Sampaio manteve a sua decisão de sair porque já havia assumido compromissos, de natureza pessoal, para o mês de fevereiro”, diz ainda o comunicado da SDE. Ele será substituído pelo chefe de gabinete da SDE, Marco Aurélio Félix Cohim Silva.

O leilão, de acordo com a secretaria, está previsto para a primeira quinzena de abril. Segundo A Tarde, com base em dados da Associação dos Trabalhadores da Ebal, ao todo, 15 lojas da Cesta do Povo já foram desativadas no interior e outras 40 estão com a suspensão das atividades prevista.

Fonte: FEC Bahia

Compartilhe:

Deixe seu recado