Horário de Verão vai gerar economia de R$ 282 milhões

A informação é do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). O horário, no qual os relógios terão de ser adiantados em uma hora, terminará em 17 de fevereiro do ano que vem, uma semana depois do Carnaval, e valerá para as regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste.

As regiões Nordeste e Norte não vão entrar no horário de Verão, à exceção do estado do Tocantins, que decidiu aderir ao horário especial. A Bahia decidiu ficar de fora este ano.

“O horário de Verão é um sacrifício para quem precisa acordar cedo, mas compensa no bolso, já que o custo da geração de energia térmica (que complementa a geração hidrelétrica quando o consumo é muito alto) é pago por todos nós”, disse o diretor- geral do ONS, Hermes Chipp.

De acordo com Chipp, a redução de demanda no horário de pico deve ser de 4% a 4,5% maior que a verificada no ano passado. Além de reduzir o consumo no horário de pico (19h), ele salienta que há um alívio também na iluminação pública, já que com mais tempo de sol, as luzes das ruas demoram mais a entrar em funcionamento.

Compartilhe:

Deixe seu recado