Inadimplência explode e vai a 23,7%

“O aumento da inadimplência do consumidor mostra que as dificuldades de honrar as despesas de início de ano, aliadas ao endividamento crescente, se estenderam para além do mês de março, considerado o mais crítico do ano. Dessa forma, abril de 2012 registrou a maior variação mensal para este mês desde 2002”, disse a Serasa, por meio de nota.

A inadimplência não bancária, que inclui cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica e água, puxou a alta do índice, com variação de 8,8% e contribuição de 3,5%.

Seguiram o mesmo comportamento as dívidas com os bancos, que registraram crescimento de 4,3%. Por outro lado, os títulos protestados e os cheques sem fundos tiveram queda de 13,7% e 7,4%.

De janeiro a abril, o valor médio das dívidas não bancárias cresceu 23,8%, o dos cheques sem fundo apresentou aumento de 12%, assim como os títulos protestados e as dívidas com os bancos, que aumentaram 8,8% e 0,1%, respectivamente.

Compartilhe:

Deixe seu recado