Incêndio atinge depósito de embalagens na Calçada

No depósito estavam armazenados produtos de limpeza, além de itens diversos como plástico bolha, embalagens, copos descartáveis, papelão e sacos de lixo. No momento em que o fogo começou, não havia pessoas no local.

A proprietária do estabelecimento, Maristela Margarão, recebeu uma ligação de vizinhos da loja pouco depois das 11h e se dirigiu imediatamente ao local. Sem seguro, ela calculava os prejuízos causados pelo fogo. “É difícil fazer uma contagem, mas o prejuízo foi grande”, afirmou. A loja, que não foi atingida pelas chamas, funciona ao lado do galpão e, segundo parentes da empresária, tem 15 anos de existência.

Segundo a Sargento Sueli Ribeiro, do Corpo de Bombeiros, a equipe teve dificuldade para chegar até o fundo do espaço apagar o fogo. “Foi cogitado abrir uma passagem pelo teto da loja para se chegar ao local”, afirmou. Segunda a sargento, ainda era desconhecida a causa do incêndio. Ao todo, três viaturas da corporação participaram da ação que só foi concluída no fim da tarde.

Técnicos da Defesa Civil (Codesal) afirmaram não ser possível ainda identificar as causas do incêndio. “A gente só pode fazer vistoria depois que estiver totalmente controlado”, afirmou o engenheiro do órgão Denilson Matos. Ele disse também que a utilização de um sistema de alarme para identificar o incêndio poderia ter reduzido a proporção da perda.

Por volta das 15h, depois de controlar o fogo, os bombeiros começaram a retirada do material de dentro do depósito. Para facilitar a ação, o fornecimento de energia na rua foi cortado e os fios que passavam próximos da janela do primeiro andar do prédio foram retirados. Alguns rolos de papelão ainda tinham resquícios de chamas quando foram jogados pela janela. Outros materiais não foram destruídos, principalmente alguns rolos de plástico bolha e pacotes de sacos de lixo. Maristela e seus familiares acompanharam de perto toda a ação dos bombeiros.

Compartilhe:

Deixe seu recado