Manifestações na Bremen e Fiori

Os comerciários das concessionárias Bremen e Fiori receberam, na manhã desta terça-feira (05/04), a visita do Sindicato dos Comerciários para mais uma manifestação em defesa dos trabalhadores do setor. Durante cerca de uma hora, o Sindicato chamou a atenção dos empresários para os diversos problemas vividos pelos trabalhadores no ambiente de trabalho e convidou os profissionais a aderirem as lutas e bandeiras da Campanha Salarial 2011.

O setor vive um ótimo momento. Apenas no primeiro trimestre deste ano, as vendas de automóveis, comerciais leves, motos, caminhões e ônibus novos no Brasil subiram 5,88% em comparação com o mesmo período de 2010. O melhor resultado da história desde 1957, quando a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) começou a fazer o balanço.

Apesar do crescimento, a cada dia é maior o número de queixas dos comerciários contra as concessionárias e revendedoras de autopeças, que insistem em não repassar parte dos lucros para aqueles que geram crescimento para as empresas. “Não vamos aceitar que em um setor que a cada dia se expande não haja respeito aos profissionais que promovem o crescimento da economia e dos lucros. Neste momento estamos chamando a atenção dos empresários e mobilizando a categoria. O Estado de Greve já foi decretado na assembleia realizada em 17/03, agora vamos cruzar os braços e parar. Estamos também com a Campanha Salarial 2011 nas ruas. Já fechamos lojas, shoppings, amanhã vamos parar a Avenida Sete de Setembro e a qualquer momento fecharemos as concessionárias”, afirmou Jaelson Dourado, Presidente do Sindicato.

Como se não bastasse os diversos problemas enfrentados pelos profissionais, como: pressões das chefias por alcance de metas, não fornecimento de equipamentos de seguranças nas oficinas, não pagamento de horas extras, entre outros, as concessionárias assinaram acordo coletivo com um sindicato fantasma que prejudicou ainda mais os comerciários com perdas como: período de estabilidade da gestante, redução da quebra de caixa, retirada do Dia do Comerciário, etc.

Compartilhe:

Deixe seu recado

Deixe seu recado