Manter o Auxílio Emergencial

Proposto pelo movimento sindical e pelos movimentos sociais no início da pandemia, o Auxílio Emergencial mostrou como dinheiro nas mãos da população pode ajudar a economia de um País. O consumo das famílias é responsável por 65% do nosso PIB (tudo que é produzido no Brasil), segundo o IBGE.

É por isso que a CTB, demais centrais e os sindicatos defendem a sua manutenção, e no valor de R$ 600,00. Isso porque a retomada da economia ainda será lenta. É uma medida que protege a renda de quem está na informalidade, garante segurança alimentar às famílias e dinamiza a atividade econômica, de acordo dom o DIEESE.

Bom lembrar que, dos R$ 186,90 bilhões transferidos para a população, cerca de R$ 100,74 bilhões retornaram aos cofres públicos por meio da arrecadação de impostos. Segundo especialistas, ele tem efeito multiplicador no PIB: cada R$ 1,00 para as famílias resulta em crescimento de R$ 1,78 no PIB.

O Sindicato dos Comerciários está nessa luta pela manutenção do Auxílio Emergencial. Entendemos que ele ajuda as pessoas que estão desempregadas a consumirem o básico, contribuindo para as vendas em todos os setores do comércio.

Compartilhe:

Deixe seu recado