Marco Civil da Internet legitima interesses da sociedade

Para Aldo, a legislação precisa conciliar direitos e deveres do Estado, da iniciativa privada, da sociedade e dos usuários individuais da internet. “Eu creio que os dois projetos procuram equilibrar exatamente todos esses interesses legítimos e, em determinadas circunstâncias, também contraditórios”, disse.

O governo deu início ao debate público sobre a regulamentação do Marco Civil da Internet e sobre o anteprojeto de lei para Proteção de Dados Pessoais. Com o objetivo de promover um debate amplo e democrático, dois portais na internet estão disponíveis para captar sugestões. Além disso, o Twitter e Facebook serão canais auxiliares das discussões nas redes sociais.

A cerimônia aconteceu no Ministério da Justiça, responsável pelas plataformas, e contou com a presença dos ministros José Eduardo Cardozo (Justiça), Ricardo Berzoini (Comunicações) e Juca Ferreira (Cultura), além do secretário de Política de Informática do MCTI, Virgilio Almeida, que coordena o Comitê

 

 

Compartilhe:

Deixe seu recado