Mercadorias apreendidas no Carnaval já podem ser retiradas

“Quem teve seu material apreendido tem que vir até aqui no depósito com os lacres e o documento de identidade para reconhecer a mercadoria”, disse a Coordenadora de Serviços Diversos da Secretaria de Manutenção da Ordem Pública (SEMOP), Janete Garcia. Após o reconhecimento, os ambulantes terão que pegar uma taxa de, no mínimo, R$ 120. A taxa máxima vai depender da quantidade de produtos apreendidos pelos agentes municipais durante a festa.

Segundo ela, os carrinhos de mão ou os carros-prancha também foram apreendidos por que traz risco a segurança do folião. “Os ambulantes, ao trafegar no meio do pessoal, com esses tipos de carrinhos, eles podem acidentar as pessoas. Por isso também foram recolhidos”, contou. Além destes, foram retidos quase uma tonelada de produtos perecíveis. Eles serão, de acordo com Janete, descartados e destruídos pelo fato de terem sido acondicionados de forma errada, sem refrigeração e em caixas sujas.

DOAÇÃO

O material que não for retirado dentro do período estipulado será doado ou leiloado, segundo a Semop. “As bebidas que tenham sido refrigeradas, serão descartadas. Já as bebidas alcoólicas serão descartadas e as latas doadas para instituições de caridade. Por outro lado, as águas e refrigerantes que não tiverem sido refrigerados também serão doados a hospitais, escolas, orfanatos e asilos. Temos uma demanda de mais de 100 instituições cadastradas no depósito para tal”, disse Janete.

fonte : Tribuna da Bahia

Compartilhe:

Deixe seu recado