Mobilidade urbana – O transporte nosso de cada dia

Os investimentos totalizam R$ 2,4 bilhões, vindos do PAC da Mobilidade Urbana. Após a escolha, uma questão ronda o pensamento dos soteropolitanos. Se para construir 6 kilometros de vias, que ligam apenas a Estação da Lapa a Rótula do Abacaxi, já se passaram 12 anos e a obra não foi concluída, o que pensar dos cerca de 20 km que deverão estar prontos em menos de 3 anos, já que os jogos estão previstos para junho de 2014. “Uma cidade com 3 milhões de habitantes requer, de fato, um transporte de maior capacidade como o metrô. Mas não vamos resolver esta situação com um metrô que vai até o aeroporto ou da Lapa até a Rótula do Abacaxi. É necessário que haja ampliação desta rede. Para Salvador seria necessário 70 ou 80km de metrô, e a rede que estão prevendo vai ter algo em torno de 30”, afirmou Armando Branco, engenheiro de transito.

Alternativas

Os problemas no transporte público da cidade são antigos. Há muito tempo a população sofre com o descaso dos governos, que entra e sai ano e não melhora, não amplia o número de vias e nem cria alterantivas para a população como ciclovias e vias exclusivas para ônibus, como destacou o arquiteto Paulo Ormindo. “Há muito tempo não se investe em transporte público de massa na cidade. A rede que existe não tem um mínimo de qualidade. Se soma a isso uma grande deficiência de vias para a circulação de veículos em geral. Nosso transporte público não pode ser resumido a metrô e ônibus, precisamos de alternativas como cilcovias, que além de ser um transporte barato, não polui, não congestiona e promove qualidade de vida”.

Estações

A cidade conta com seis estações de ônibus: Lapa, Aquidabã, Calçada, Iguatemi, Pirajá e Mussurunga. Em todas, o descaso e a falta de respeito com a população é visível. São banheiros sujos e malcheirosos; lixo por todo o lado e filas gigantes, devido a superlotação e atrasos de ônibus, que vivem dando defeito, por se tratar de uma frota que há muito tempo não é renovada. “O trabalhador gasta, em média, 3 horas do seu dia com transporte, no deslocamento entre trabalho e casa. Um transporte público que encontra-se em péssimas condições e não atende as necessidades dos usuários. Temos ainda problemas com os planos inclinados e elevador lacerda, que vivem dando defeitos e tem suas atividades paralisadas, prejudicando a população e os comerciários. O Sindicato está participando de diversas atividades como reuniões e manifestações, em especial contra a privatização da Lapa, porque busca uma cidade moderna que atenda as necessidades de sua população”, pontou Jaelson Dourado – Presidente do Sindicato.

Insegurança

A insegurança é outra questão que tira o sono do soteropolitano. Segundo a Secretaria de Segurança Pública até agosto deste ano foram registrados 684 assaltos a ônibus em Salvador e Região Metropolitana, uma média de 100 registros por mês, 3 por dia. Um número que tende a aumentar devido as estatísticas. Em fevereiro foram 60, em julho 124.

Estação da Lapa

A Estação da Lapa é a maior, mais antiga e que recebe o maior número de pessoas. Diariamente são cerca de 460 mil usuários. Sujeira, mau cheiro, mendigos e ambulantes tomam conta de todo o local, e algumas das escadas rolantes estão sem funcionar há muito tempo. Nossa equipe entrou em contato com o Secretáriode Serviços Públicos, João Leão, que prefere não falar até que o processo de licitação que escolherá a empresa para terceirizar os serviços fique pronto. Já a Transalvador não retornou às nossas ligações.

Opinião

“Eu acho que o metrô não fica pronto até 2014. Quando ficar pronto meu neto quem vai usai é”. Antonio Silva – porteiro.

“A situação tá precária. Os ônibus andam tão cheios que os motoristas deixam de parar nos pontos”. Adilton Macedo – agente de proteção.

“Já entramos nos ônibus inseguros achando que vai acontecer assaltos, eu mesmo já presenciei um. E todos que entram passam a ser suspeitos”. Sandra Trindade – comerciária.

“A insegurança é um dos piores fatores. Hoje em dia ninguém se sente seguro em sair de casa para trabalhar”. Diemeson Silva – comerciário.

“Eu não acredito que o metrô fique pronto”. Edson Goulart – administrador.

“As estações estão péssimas. Salvador encontra-se no caos”. Luis Augusto – frentista.

“Já tem 12 anos e as obras do metrô não ficaram prontas. Com certeza o que estão prevendo para 2014 também não ficará pronto”. Erondina da Cunha – aposentada.

Compartilhe:

Deixe seu recado