Movimentos ocupam Ministério da Educação contra desmonte de Temer

Entidades como a União Nacional dos Estudantes, (UNE), Confederação Nacional dos Trabalhadores Estabelecimento de Ensino (Contee), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sindicato dos Professores do Destrito Federal (Simpro-DF), Sindicato dos Professores do Estado de São Paulo (Apeoesp), entre outras organizações que lutam pelo direito à educação participaram da ocupação.

A presidenta da Contee, Madalena Guasco, explica a dimensão dos cortes promovidos por Temer no MEC. “O conselho nacional de educação hoje é quem normatiza e regulamenta as políticas públicas de educação, ele é responsável por deliberar sobre as bases nacionais curriculares, os currículos dos professores, os currículos dos cursos de graduação, o CNE é ligado o governo, porém, segundo a Lei de Diretrizes de Bases (LDB) ele tem um papel específico”.

O interino revogou nesta terça-feira (29) a nomeação de 12 conselheiros do CNE nomeados por Dilma Rousseff no último mês de maio, manteve os conselheiros que estavam encerrando o mandato e os secretário do MEC que participam do Conselho. Na prática, Madela denuncia que, a ação de Temer, tem como objetivo esvaziar o CNE ou nomear conselheiros do seu interesse para conduzir o órgão. ” É um acontecimento tão arbitrário e absurdo, que ainda não há condições de avaliar o impacto dessa revogação”, denuncia.

 Pacote de maldades

Desde que foi conduzido de forma ilegítima no MEC, o ministro da educação, Mendonça Filho, (DEM-PE) vem promovendo um verdadeiro desmonte das políticas educacionais promovidas nos últimos anos. Confira algumas ações:

Fonte: Portal Vermelho

Compartilhe:

Deixe seu recado