MV Bill e Celso Athayde promovem curso gratuito em Salvador

Autoridades, alunos, familiares, religiosos e representantes de diversas organizações estiveram presentes para prestigiar o evento e conhecer melhor o projeto que vai beneficiar cerca de 50 jovens, com idade entre 16 e 22 anos, com cursos de capacitação profissional, através de financiamento internacional.

Comerciários presentes

O diretor do Sindicato dos Comerciários Antonio Suzart, que também é presidente do Instituto Luiz Gama, falou da parceria com a CUFA. “A parceria tem como objetivo um trabalho social em comunidades de baixa renda para aqueles jovens que não tem oportunidades. É uma porta que se abre para comunidades que precisam de apoio e incentivo”.

A assessora do Sindicato dos Comerciários, e uma das diretoras da Cufa na Bahia, Danubia Santos, falou das atividades da organização. “O trabalho da Cufa está voltado para arte de rua e aqui na Bahia começamos com educação e conhecimento. Um trabalho piloto que pretende ser levado para outros 5 estados. Nosso objetivo é atingir 50 jovens, inicialmente, com um curso pré vestibular com ênfase em cidadania. Jovens que vão levar para casa, além do conhecimento acadêmico, uma formação social que vai trabalhar a auto estima, através de teatro, dança e música”, completou Danubia.

Chegada do projeto – desigualdade social

O projeto surgiu em 1998, a partir de uma visita de MV Bill e Celso Athayde à Salvador. “A idéia surgiu quando nos deparamos com o tamanho da desigualdade social do povo baiano. Hoje, ao retornarmos à Salvador trazendo o projeto, buscamos o mesmo êxito dos outros estados. Queremos ampliar a atuação para outros focos como área cultural, musicalidade e consciência social, com participação e inclusão”, afirmou MV Bill.

Novo modelo

O trabalho é realizado em outros 26 estados, em 412 cidades, com um outro formato, que envolve esporte e música. Na Bahia, na versão pré-vestibular, é um modelo piloto, como definiu Celso Athayde. “O conhecimento é o maior patrimônio de um ser humano para se desenvolver como pessoa. Entendemos que a educação é o fio condutor de qualquer processo. O modelo aqui adotado está sendo analisado para implantação em outros locais. Pretendemos implantar ações em várias áreas na Bahia, mas vamos começar com educação”, afirmou Athayde.

Periferia, violência e drogas

Cerca de 83% da população de Salvador é composta por negros que vivem nas periferias. Neste universo, os jovens são os maiores prejudicados, porque nem sempre tem oportunidade e muitas vezes são levados para o mundo do crime e das drogas. O Presidente da Frente Parlamentar de Defesa dos Direitos da Juventude e Deputado Estadual, Yulo Oiticica, falou do benefício que o Pré Cufa trará para os jovens de Sussuarana. “A Cufa tem possibilitado o que para nós é algo muito novo, mas determinante para essa mudança de rumo do protagonismo infantil. Infelizmente a nossa juventude é vítima fácil do tráfico de drogas. Primeiro consumindo, depois traficando, e por último sendo exterminada, seja pelo traficante ou pela polícia. É fundamental que programas como este aconteçam na periferia da nossa cidade e nos bairros populares. O que a sociedade costuma chamar de bandidos são artistas, que tem talento a flor da pele mas não tem oportunidade”, declarou o parlamentar.

Compartilhe:

Deixe seu recado